Páginas

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Batizado do Maurício




Meu neto batizou ontem e postei as fotos do evento religioso no Facebook, já esperando que meus amigos evangélicos rejeitariam a publicação. Dito e feito. Compartilhei na minha página e quem curtiu e comentou, foram os conhecidos da família materna do Maurício e alguns parentes meus. Mas os religiosos evangélicos da minha rede social, não se manifestaram e com isto fica muito claro que associam o "curtir" à uma aprovação ao rito em si.

Sou cristã com toda a convicção e religião por religião, não gosto de nenhuma. 
Jesus no oitavo dia de vida, foi levado ao Templo para circuncidar, como era o costume judaico. Nunca vi nenhum católico ou evangélico fazer isto, por motivos óbvios: o costume religioso era para o povo Hebreu, de acordo com a Lei de Moisés. Então, tanto faz se alguém joga água na cabeça ou levanta a criança para orar. O símbolo do rito, seja no batizado ou apresentação da criança, é introduzir a criança na fé cristã. É o compromisso da família em ensinar as primeiras lições da vida, com princípios e valores cristãos. 

O que chama minha atenção, é que na tentativa de "agradar" a Deus participando ou não de algo, as pessoas acham normal essa segregação onde o que fica evidente para mim, é a falta de amor e tolerância. Enxergam tudo como pecado e não conseguem ver Deus uns nos outros.

Se um grupo ou outro se enxerga como "o correto", não aprenderam isto de Cristo, que veio ensinar um modo de vida e não criar uma nova religião. Combateu a tradição com todas as forças e jamais ordenou que se criassem outras. Sua única ordenança, foi que nos amássemos uns aos outros, como Ele mesmo amou. Se entendemos tudo errado, foi por nossa conta mesmo, repassando ensinamentos tortos de geração em geração. Se há erros de interpretação aqui, também há alí, portanto, todos carecemos da mesma Graça e Mediação de Cristo.

Da minha parte, desde que me vi livre de religiosidades e tradições, comprometo-me a estar onde haja amor. Estou nas causas onde o bem se manifesta, estou nos convites da alegria, das celebrações, dos sorrisos, da gratidão, seja num lar, num ambiente religioso ou onde mais o amor se manifestar, na comunhão da mesa e do abraço.

Prestei atenção em cada simbologia e explicação do padre que realizou o batizado e me emocionei. Fiz intimamente meu compromisso de ensinar ao meu neto sobre Cristo e sobre o amor.

O preconceito rouba momentos de nossas vidas que podem ser muito bonitos. E exclui pessoas que poderiam ser tão irmãos quanto os que congregam conosco. Graças a Deus podemos elevar à Ele esta oração: "Que a vida do Maurício seja pautada no teu Evangelho, para que ele cresça te amando, servindo e glorificando Teu Nome com a vida, Amém!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário