Páginas

sábado, 30 de junho de 2012

Antes, amar.

Compreendo perfeitamente o quanto se sente ludibriada, a pessoa que foi manipulada pelo sistema religioso institucional. Depois de uma vida dedicada à religiosidade e às regras humanas, com um pouco mais de afinco nos estudos bíblicos, é possível identificar a enorme quantidade de entulhos gospeis e enxertos.

O que não concordo, é que violentem pessoas de boa fé, com discursos arrogantes e cheios de mágoa, empurrando verdades garganta adentro.  Isso é violentá-las, sem se dar conta se estão ou não preparadas para uma decepção tão grande, já que a fé é algo bem íntimo. É como socar feijoada num recém nascido. Longe de ser amor, isso é crueldade.

É preciso delicadeza para sugerir novas possibilidades. Se queremos contribuir com o crescimento do Reino, o anúncio da Boa Nova, temos que ser mansos como Jesus. 

Me importa menos desmascarar líderes e sistemas, do que amortecer a dor do meu próximo, de forma que as decepções não os transforme em gente desiludida.  E percam a fé na Graça de Deus por consequência da desumanidade desses que saem para apedrejar do lado de fora. Se vingam porque não amam. São vândalos e não revolucionários.

Quero me aproximar das pessoas, e na medida que se interessem pelo que tenho a dizer, direi. E se não se interessarem, as amarei como Jesus amou, sem acepções. Respeitando sua imaturidade, mas plantando sempre a semente do amor. Para que no tempo delas, germinem. 

E está se tornando corriqueiro isso, de tentar trazer os revoltados à consciência, de que não é fazendo o mal inconsequentemente, que vão de uma hora pra outra, mudar o erro estabelecido. Mas com posturas e ideias, é possível sim, ser luzeiros na vida de alguns.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Sem acepções

Há um tempo atrás, uma amiga me pediu ajuda em oração e enquanto ela se justificava, fui incapaz de pronunciar palavra. Depois que o irmão começou a namorar, se afastou da família e ela dizia: "Tenho orado no sentido dele abrir os olhos e se decepcionar ao ponto de não restar nem amizade". E eu, atônita com tanta frieza, ainda tentei sem sucesso, dizer que Deus não a ouviria e que o certo seria ela desejar uma mudança positiva na vida da moça, de forma que a harmonia voltasse para a família.

Num outro caso, um moço tenta me convencer que sua mãe tem revelações da parte de Deus e que estas mudam a atitude dela e a de sua família. Para mim, esse tipo de coisa só contribui como alimento para a arrogância de sentir-se mais santo, mais ungido, mais espiritual que os outros. E claro, um pretexto e tanto para manipular as pessoas. Bastaria que conhecessem a Bíblia e com a ajuda do Espírito assimilassem, afinal, não precisamos de novas revelações além das que estão contidas alí. No que tange à experiência de cada um com Deus, se dá no chão da vida, dos sentidos, dos encontros. Não precisamos de revelações sobrenaturais para entender coisas óbvias. Entendam que creio que Deus tudo pode, mas sou contra essas banalizações do que para mim, é sagrado. Além de não acreditar em privilégios concedidos à quem é tão carne quanto qualquer outro. Não depois de estar TUDO consumado.

Essa semana sugeri num post no facebook uma auto-análise para avaliarmos se sustentamos nossos discursos com atitudes. E isso serviu de pretexto para duas irmãs lavarem roupa suja na minha página. O desejo que Deus castigue, condene, que essas pessoas sejam desmascaradas era gritante das duas partes.

E hoje o motorista lamentava com a cobradora: "Deus conhece o meu coração! Se eu ganhasse essa cesta, ajudaria as pessoas, mas olha a vida do "fulano", o que ele vai fazer com ela?"

E eu daqui da minha insignificância, olhava a paisagem lá fora e fazia contato com meu próprio egoísmo. Quantas vezes já amaldiçoei quem desejou meu mal, quem investiu contra mim, quem me feriu e desejei que Deus fizesse justiça por mim? Glória à Deus, que amou tanto à mim quanto à essas pessoas, justamente por conhecer meu coração, não deu trela pra ele :P

Para Ele, tanto o desejo mal que as dominou em determinado momento, quanto meu desejo de vingança, são a mesma coisa, nos põe no mesmo patamar. E Sua misericórdia, cobriu tanto à eles, quanto à mim.

Graças a Deus ainda consigo reconhecer meus tropeços e saber que o preço de quem amo foi pago, mas também o dos que não quero amar. Não há acepção, não há privilégios neste lugar, além deste de ter crido na Boa Nova. 

Na fé, encontramos força para não deixar que o Sol se ponha sobre nossa ira.

Reconhecer nossa condição, é o caminho para a tolerância, a renúncia, o perdão e finalmente o AMOR.

sábado, 9 de junho de 2012

Deus nos homens



Estava pensando. Se não houvesse uma Palavra revelada, expondo a vontade de Deus para a humanidade, ainda assim Deus falaria à Sua criação.

Tudo o que vem a existir, tem em si as digitais do seu criador, seus sentimentos e desejos, ainda que não corresponda a toda a sua expectativa, tem a essência do seu criador. Por que seria diferente com a criação divina?

Imagino que o corpo (instrumento) do homem foi formado e com ele o ser (alma). Toda a sua individuação estava alí em potencial e o sopro de vida (espírito) acrescentou no homem a presença do Criador. Não há uma criatura sequer, que não carregue em si a energia de Deus, o sopro e a essência de Deus por meio de seu fôlego.

É nisso que creio, quando lembro que Jesus disse que apesar da carne ser fraca, o espírito estava pronto. Na verdade, o que está pronto não pertence ao homem. O espírito é o fôlego de Deus, que se retira de nós e volta pra Ele quando morremos. Mas enquanto vivemos, é este o canal que nos liga. É por meio do espírito que percebemos a fé, o amor, a contemplação do belo e desenvolvemos o fruto do Espírito até que esteja pronto a ser nosso alimento espiritual.

Por esse prisma, não há sequer um homem que não perceba Deus, pois todos tem um espírito dado por Ele. Ainda que uma cultura diferente, molde o entendimento deste homem em outra direção, ele ainda será capaz de perceber o amor e conhecer a vontade de Deus, por meio do espírito.

O que a cultura molda, é a alma. O espírito está pronto. O corpo é apenas o instrumento que nos possibilita realizar ações. Ele mesmo nada deseja e não peca. A concupiscência do homem, está em sua alma.

Então, cada povo, língua e nação, apesar de não conhecer a cultura cristã, ainda tem a essência de Deus advinda do Sopro de vida.

Mesmo os ateus, aqueles que negam a existência de Deus. Quando conversamos com eles, os argumentos são sempre direcionados à injustiça dos homens, à desigualdade no mundo, as catástroferes inexplicáveis, enfim, claramente percebemos, que o que eles rejeitam não é Deus, mas as caricaturas do deus criado por cada homem. Negam com a mente, porque não assimilam o Deus que percebem, com o deus apresentado pela ortodoxia.

Deus é Mistério. Ainda que haja uma revelação, ela é apenas o que podemos suportar Dele e ainda assim, cada homem a enxergará por um ângulo, de acordo com o suporte que sua própria alma lhe dará. São seus anseios e angústias que formará um deus à sua imagem e semelhança.

Conhecemos muitos cristãos que tem em Jesus, o seu vingador pessoal, ou aquele que está o tempo inteiro preocupado em satisfazer os desejos e necessidades dos seus súditos. Tudo indica que sejam manifestações de egocentrismo e não do AMOR, que deveria moldar a vida de todo aquele que a Graça alcançou.

Uma pessoa liberta dos costumes deste mundo, há de imaginar que Deus não está mais ocupado com a conta bancária dela, do que com o miserável que come lixo. É sempre a mesma tecla: o ego destrói o que o Amor deseja construir.

Creio sinceramente que o Espírito de Deus foi derramado sobre toda carne, pois é isso o que a revelação bíblica garante. E que apesar das religiões separarem os homens em grupos que digladiam entre si, o Deus que vivifica um, faz o mesmo pelo outro e sem acepção.

E possuir uma Bíblia em casa, não garante a ninguém um espírito em sintonia com o Amor. Da mesma forma que vemos manifestações de amor por todo o mundo. E não me consta que haja outra fonte do Amor, senão Deus, o Criador de todas as coisas.

sábado, 2 de junho de 2012

E seremos UM



Assista aqui o vídeo com legenda em português.